Poema de João Paulo Cunha inspirado no filme “Cadê Edson?” 

Fúria
Um manto mitopoético cobre seus restos
Impossível previsão do tempo sofrido
Vislumbro no telejornal um passado próximo
Vejo o Hotel Torre Palace em cortes velozes
Na parede leio: Fúria
O abandono acabou
A polícia chegou!
Me arrasto em cacos sonhando alhures
Brasília evoca brisas distantes
Utopias antigas
Distopias do agora
Impávido me embruteço
Diante do cortejo fúnebre dos vencedores

João Paulo Cunha

Copyright © Trotoar Serviços Audiovisuais Ltda. 2019.